APOST participa de GTs, Executivo, Operacional e Comercial em Brasília

By 9 de setembro de 2019 Notícias
GT Executivo

Aconteceu, em Brasília, os Grupos de Trabalhos entre a ECT e a rede franqueada. Os grupos foram divididos entre Executivo, que tratou de temas referentes ao contrato de franquia postal e o futuro da estatal, Atendimento e Operações cujo os temas ficaram restritos as questões operacionais e ainda o grupo que tratou de assuntos relacionados à pauta Comercial e de Negócios da ECT. As reuniões aconteceram nos dias 27 e 28 e contaram com a presença das associações representativas, funcionários e gestores dos Correios.

Na terça-feira (27) os trabalhos foram sobre o futuro das franquias e da própria ECT. Na oportunidade representantes da ECT aproveitaram para informar que a privatização se trata de um tema de governo e por isso não está sendo debatido pela empresa. Ainda, aproveitaram o momento para enfatizar também que é tempo de reerguer a empresa, solidificando ainda mais o relacionamento com as franquias e ajustando as políticas de mercado.

Tratando especificamente dos contratos de franquias postais, foi informado às associações presentes de que o processo de prorrogação acontecerá no TCU e que assim que o órgão se posicionar uma nota oficial da ECT será publicada no SIGA. A ECT irá protocolar no TCU uma proposta de prorrogação dos contratos das 351 agências franqueadas que tem o contrato com vencimento em 2020.

Ainda na reunião executiva foram tratados temas referentes a implementação das etiquetas de RFID e a comemoração dos 30 anos de rede franqueada. Sobre as etiquetas de radiofrequência, que permitirão o rastreamento ponto a ponto em tempo real, a ECT anunciou que novos testes devem acontecer a partir de novembro envolvendo os CTES e algumas agências franqueadas.

Referente aos 30 anos da rede franqueada a estatal informou que irá produzir um e-book contando a história dessa parceria público privada de tanto sucesso. A previsão de lançamento é novembro e a ECT convidou as associações para participarem da elaboração do conteúdo. Na quarta-feira (28), simultaneamente, ocorreram os encontros do grupo que tratou de assuntos Operacionais e de Atendimento e do grupo que deliberou sobre temas Comerciais e de Negócios.

GT Atendimento e Operações

No GT de Operações, foram presentados assuntos como a emissão de nota fiscal para a venda de caixas e envelopes, a operacionalização do SISCAP, falta de produtos e suprimentos, arquivamento de documentos obrigatórios nas AGFS e fiscalização de encomendas postadas em regiões de fronteira.

Sobre a emissão das notas ficais relacionadas as vendas de caixas e envelopes, a ECT salientou que embora o sistema SARA não faça a emissão da mesma, é de responsabilidade da franqueada emitir o documento. Para isso a empresa irá permitir que, de forma paliativa e a custo do franqueado, seja colocado um computador adicional com esta finalidade na frente de atendimento. Contudo, tal procedimento ainda será manualizado para não interferir no layout das agências aprovadas pela ECT.

Ainda na ocasião foi explanado sobre a fiscalização de objetos postados em regiões de fronteira, cujo a recomendação é feita pela receita federal e não pela ECT. Muito embora não seja uma norma regimentada pelos correios, foi recomendado que as franquias que se encontram em região de fronteira continuem com o procedimento até que o processo jurídico que discute o tema avance.

Com relação a operacionalização do SISCAP o departamento responsável informou que novas funcionalidades serão incorporadas ao sistema, porém ainda não existe data para o lançamento das mesmas. No que diz respeito da falta de material e suprimentos a ECT frisou que os problemas estão nos pedidos realizados pelas franquias. De acordo com a empresa apenas o lacre metálico está em falta e esses podem ser substituídos por fecha malas vermelho, em caráter contingencial. Para sanar as dúvidas sobre a disponibilidade de produtos a ECT recomenda ainda, que seja feita a consulta de produtos disponíveis no próprio sistema SISCAP e ainda que seja consultado no SIGA a lista de produtos descontinuados. Referente a guarda de documentos no arquivo das agências a ECT informou que já existem documentos que o SARA já está salvando de forma digital e que em breve todos os documentos passíveis de arquivamento seguirão o mesmo processo. Ainda sobre os documentos impressos, a ECT ressalta que existe a condição da guarda ser feita em outro local, fora da AGF, contudo deve ser informado à GERAT quando os documentos forem movidos de lugar. Para esclarecer os procedimentos a DERAT irá encaminhar às GERATS um documento com as explicações e pedindo que este seja retransmitido a rede franqueada.

GT Comercial e Negócios

No GT Comercial e Negócios, as associações e representantes da ECT discorreram sobre o Panorama do E-Commmerce, a Primeira Milha e Marketing Direto. Além desses temas, foram responditdos os questionamentos gerados na edição anterior dos GT.

Sobre o Balcão do Cidadão, a ECT informou que está em negociações avançadas com os governos estaduais para que a rede de atendimento possa oferecer serviços como emissão de carteira de trabalho, CPF, Passaporte, Documentos de DETRAN e certificado digital.

Na questão das cotas de atendimento a orgãos públicos  a ECT informou que as mesmas estão sendo revisadas e que quando o estudo estiver pronto, uma nota deve ser publicada no SIGA.

Ainda com relação a revisiões, a ECT irá rever os prazos de entrega divulgados no site da estatal, a partir de setembro.

No que diz respeito aos contratos guarda-chuvas utilizados por gráficas ficou mantida a permissão dos mesmos e em breve a questão será alterada nos manuais da estatal.

A ECT informou que enviou as Superintedencias Estaduais orientação para que suas Forças de Vendas atue em conjunto com as AGF nas visitas a cliente.

No GT comercial ainda esteve em pauta a revisão da política comercial. Sobre o tema, A ECT afirma que vai melhorar a oferta de produtos e serviços a todos os clientes e passará a dar tratamento prioritário de pós venda e T.I. aos grandes clientes.

A empresa também afirmou que continuará a ser parceira de todos os participantes do ecosistema nacional de e-comerce incluindo as empresas concorrentes. A ECT também decidiu que não tentará criar um Marketplace próprio.

Entre as revisões em andamento, está a adequeação dos sistemas para precificarem o PAC nas faixas de 30g a 1Kg, estudo para viabilizar que o remetente possa redirecionar o endereço de entrega das encomendas e o acesso a informaçao eletronica do recebedor das encomendas será  disponíbilizado gratuitamente para todos os clientes de contrato.

Ainda no encontro, a ECT aproveitou para duvulgar alguns numeros da pesquisa de satisfação feita pela ECT junto aos clientes de contrato:

  • Numa escala de 1 a10 a satisfação geral dos clientes subiu de 6,50% em 2018 para 7,28% em 2019;
  • Clientes apontam insatisfação com as dificuldades em conseguir descontos nas tarifas e com o atendimento de pós venda por parte da ECT,
  • Muitos clientes se manifestaram com grande satisfação pelo atendimento recebido das AGF´s que os atendem.

Para tal pesquisa, a APOST solicitou que os dados completos sejam compilados e utilizados para campanhas na mídia e até mesmo dentro do próprio governo.

Os grupos de trabalhos de Atendimento e Operações, assim como o de Negócios e Comercial, voltam a se reunir no final do mês de outubro, em Brasília. Já o próximo GT Executivo não tem data marcada.